Anotações oníricas [Viagens ao dormir]

Posts Tagged ‘viagens

Depois de seis dias naquela cidade linda, eu sonhei com ela pela primeira vez anteontem. Nem estava no Caminito, meu lugar favorito por lá, e sim nos arredores de Palermo, onde ficamos.
Isso já é saudade? Vontade de voltar?

Um beijo diante da Casa Rosada

Simples assim.
Sonhei que achava meu passaporte.

Sonhei que eu estava em São José dos Campos. Nunca fui lá. Só vi da estrada, se é que vi direito. Mas noite passada estive lá em sonhos. Cheguei, peguei um táxi e pedi que o taxista me levasse a um hotel do centro. Ele me olhou espantado e disse que a região era “estranha”. Quando quis saber por que, ele me disse: “Porque lá é muito boêmio, frequentado por jornalistas, sabe?” Aí eu disse: “OK, porque também sou jornalista.”

O taxista de São José dos Campos me olhou com uma cara de muito espanto. E, aparentemente, me levou ao destino final. Mas, antes disso, eu acordei.

Todo geminiano é esteta?

Flora e William, lindos

Eu TINHA que começar esse texto falando de signo. Porque é sobre William, sobre o sonho que tive com ele e com Flora. E porque me pergunto isso mesmo. Porque até em sonhos só tenho focado meus olhos para gente e coisas bonitas.

O sonho foi simples, sem nada mirabolante e bizarro. Flora vinha contar que William estava viajando. Tinha ido para a Europa, mas eu lembro bem dela falando que ele estava em Berlim, bem naquele dia. E a gente começava a imaginar o que ele estaria aprontando nessas cidades todas, cheias de novidades. Depois Flora dizia que, na volta, ele ia ficar no Nordeste do Brasil. E eu ficava feliz, mas, ao mesmo tempo, angustiada, por querer estar lá com Cleiton na época em que William estivesse no Maranhão.

Pena que a gente não estava na Europa com William. Mas acordei feliz porque sei que ele devia estar se divertindo muito. 😛

Passeio de barco com turistas e as duas irmãs pelo rio Nilo (ham?? hahahahaha). E eu caí nele. Me puxaram, dizendo que era pecado mergulhar nesse rio. Falaram de Jesus até. Quando voltei para o barco, senti que a água fedia muito. MUITO. Enjoei.

Joãozinho me apareceu em sonhos essa noite também. Rindo, como sempre. Mas não lembro de mais nada.

Larrosa e eu, maio de 2008

Sonhei que estava em Aracaju. E Sergipe é o único Estado do Nordeste que não conheço nada. Um amigo querido demais está morando lá há pouco tempo e acordei certa de que isso é só saudade dele. O engraçado é que, no sonho, ele não aparecia. Mas o bom é que acordei com o pensamento nele.

Será que Freud explica???

Depois de anos e anos, minhas unhas estão lindas, modéstia às favas. Grandes, pontudinhas, sempre coloridas. Roí por anos, nunca liguei se elas eram pequenas e sem graça. Agora fiquei vaidosa com elas. Sempre coloridas!

Pois sonhei que roía tudo, no aeroporto, ao me despedir da irmã mais velha, que ia viajar para encontrar um amor gringo não sei bem em que país. O mais louco: eu chorava quando via as unhas roídas e me espantava até no sonho. Tudo porque estava chorando de ciúme da minha irmã!!! É como se eu fosse apaixonada demais por ela e estivesse louca de ciúme. Quando ela vinha me dar tchau, eu mostrava as unhas pra ela e, como uma louca de novela, dizia: “é tudo culpa sua!!!” hahahahahaha

Engraçado. Porque, quando éramos crianças, ela era meu ídolo, mas isso sempre pareceu incomodá-la. Ela sempre dizia que não ia pros lugares “com essa pirralha”. E eu ficava toda magoada. Freud explica??