Anotações oníricas [Viagens ao dormir]

Posts Tagged ‘show

O sonho da noite foi LINDO!

Eu e Cleitin estávamos em um carro, em uma estrada escura, rumo a um show de Roberto Carlos. Parecia que era a estrada de Ribamar, e o show era meio longe. Estávamos em São Luís, ou seja, a chance de ser em Ribamar era grande, hehehehe

A caminho do show, eu dirigindo, ele do lado contando histórias enquanto ouvíamos música, ele via um bilhete de mamãe. Ela tinha nos dado R$ 303 (olha a precisão dos três reais!) para que a gente comesse durante o show do Rei.

Mamãe consegue ser linda e fofa na vida real e nos sonhos.

 

Anúncios

Tulips

Anteontem eu sonhei que estava em um show de Tulipa. Normal, se eu pensar que anteontem eu estava MESMO em um show de Tulipa.

MAS, como sonho é sonho, o show era no velhooooooo auditório do Marista, minha escola. Aquelas cadeiras duras adoráveis, onde vi tantas apresentações. Aquele palco onde vez por outra a artista tímida era eu!

Tulipa estava atrasada, o auditório estava lotado. De repente, entrava no palco Thalma de Freitas, com uma roupa linda, meio fantasia, com a barriga de fora e o cabelo mais montado de todo o universo. Ela entrava para dizer que Tulipa estava no camarim, muito nervosa, mas que em breve começaria o show. “Ela está triste porque essa temporada foi maravilhosa e já acaba amanhã.” Palmas, muitas palmas!

Quando Tulipa entrou no palco, radiante como sempre, a maior surpresa onírica! O auditório, o velhooooooooo auditório da minha velha escola, começava a se mover. Ele todinho! O auditório era uma espécie de ônibus e levaria todo mundo – cadeiras duras, palco, cantora, plateia – para um passeio pela cidade.

Luz, raio, estrela e luar (nas alturas)

Wando morreu semana passada. Há uma semana, para ser exata. E essa madrugada eu sonhei que estava em um show do Wando!

O show era nas alturas. Não, eu não tinha morrido no sonho. Eu estava bem viva, e chegava no show em um carro, com Jamille e Mamá. Mas o carro subia uma colina tão íngreme, mas tão íngreme, que parecia que ia cair, que a gente ia desabar. Descíamos do carro – o carro ficou parado no meio da multidão – e o lugar lotado parecia o Parque do Ibirapuera, só que nas alturas.

Em meio a tanta gente, do nada, eu via Alexander, meu amigo altão! No sonho ele era ainda mais alto, se destacava no meio da multidão facilmente.

E todos estávamos lá ouvindo Wando. No sonho, Wando, aliás, não tinha morrido. Ufa.

Sonhei com Paul McCartney ontem e anteontem.

Ontem ele estava passando som para um show que faria no Marista, escola onde estudei. E eu não conseguia entrar. Ficava doida, andando pela calçada, e me diziam que não cabia mais ninguém lá dentro.

Anteontem eu tive mais sorte. Bem mais. Eu e Cleiton estávamos em um show de Paul na praia de Copacabana. Aham! Detalhes bizarros oníricos: cada pessoa estava sentada em uma carteira de escola, colocada na areia mesmo. E a gente estava na primeira fila! Quase no final do show, o velho e amado Macca descia do palco e ia até a minha carteira. Segurava minhas duas mãos e continuava cantando.

Sonho é bom porque é da gente! 😛

Paul estava assim, lá no Sesc!

Sabe aqueles sonhos tão bons, mas tão bons, que a gente acorda sorrindo? Pois minha manhã de domingo até que começou legal, graças ao Sir Paul.

Sonhei que ele fazia um showzinho básico na Choperia do Sesc Pompeia. hahahaha Como sonhar NÃO CUSTA NADA, nem estava lotado!!! Cheio, mas com aquelas laterais bem vazias até. Como sonho tem que ser louco, o palco era no lado oposto ao que é.

Eu estava bem na frente. Grudada. Via Paul muito de perto. E ele estava amarrado a umas cordas, era jogado, como se estivesse voando, em cima da plateia. No chão, uma criança com deficiência estava dentro de um cesto da AACD. E ele mostrava uma rosa vermelha para a criança, enquanto “voava”.

O lado pesadelo desse sonho ótimo é que eu tinha deixado as baterias da máquina em casa recarregando. Detalhe: essa noite deixei duas baterias recarregando mesmo. E, no show do Macca, eu só estava com uma bateria no finalzinho, e eu me desesperava um pouco, claro. Do meu lado, uma menina que nunca vi na vida, virava pra mim e dizia que ele tinha sorrido ao ver minha tatuagem dos Beatles. Na hora em que tinha virado para procurar Dânia, minha irmã, que estava comigo. Depois, a mesma menina dizia: “Fernanda, você já leu um livro chamado Comédias da Vida de um Jornalista?” Eu olhava pra ela com raiva, só porque ela sabia meu nome e também sabia que eu era jornalista. E respondia que nunca tinha nem ouvido falar desse livro. hahahaha

Apesar da intrusa, eu acordei leve, leve. Como se estivesse mesmo tido a chance de ver Paul mais uma vez.

Christiano Mesquita diz:
Sonhei com você e suas irmãs hoje.
*Fê diz:
Opa, vou contar no meu blog de sonhos!
Christiano Mesquita diz:
Vocês tinham criado uma, vamos chamar assim, banda. Na verdade, era uma salada que, à primeira vista, poderia parecer pavoroso.
*Fê diz:
Banda foi ótimo. hehehehehe
Christiano Mesquita diz:
Haviam órgãos como aqueles dos rock´s dos anos 70, uma pick up com DJ, uma bateria de escola de samba, guitarras, baixos… uma loucura. Você e suas irmãs de preto, agitando… Tati estava numa bateria, mas não uma bateria qualquer. Era uma bateria ao estilo do baterista do Rush Dânia e você cantando. Não lembro a música.
*Fê diz:
Eita, cantando! Que responsa hehehehehe
Christiano Mesquita diz:
Mas imagina Tchaikovsky num rítimo mais rápido, misturando a pegada do samba, com guitarras e scrat´s dos dj´s. E o pessoal pirava dançando. No estilo das danças medievais. Foi muito bom.
*Fê diz:
Registra em cartório!!!
Christiano Mesquita diz:
Acordei animadão, como se tivesse realmente nessa apresentação. huahauahuahuaha
*Fê diz:
Um dia vão fazer isso e você vai ter raiva de não ter ganho grana com isso hehehehehe
Christiano Mesquita diz:
Acordei com a sensação de que REALEMNTE vocês tinham feito isso há um tempo atrás. Acordei e fiquei pensando direto pra não esquecer: “Tenho que googlar Sambba pra ver minhas primas!” Com dois Bês mesmo. Esse era o nome do grupo.
*Fê diz:
hahahahahaha Olha, tem até nome. Você tem que ser o empresário!
Christiano Mesquita diz:
E tinha apresentação de teatro envolvida, engajamento verde… enfim, não uma banda: uma organização paramilitar! huahauhauahuahaua
*Fê diz:
hahhahhahaha adorei! Vai pro blog.

Disco novo e bonzão de Otto

Certa manhã acordei de sonhos intranquilos. Disco de Otto. Vou ao show hoje.