Anotações oníricas [Viagens ao dormir]

Posts Tagged ‘lar

Minha caçula dormindo na minha cama:
estaria ela sonhando?

Tags: , , ,

Sonhei com a casa do Turu. A casa de vovô Noske e vovó Cita, que hoje nem é mais da gente. Faz tempo que não passo nem em frente, mas essa madrugada eu “passei” por lá. A diferença é que da avenida era possível ver tudo que acontecia lá dentro, como se o muro alto fosse transparente. E a casa que eu tanto amei havia virado um asilo. Casa de repouso para velhinhos. Estava sol e um velhinho passeava entre as roseiras de vovô.

Amanda e Wallace, Rio, julho de 2009

Essa noite sonhei que eu estava na festa de 9 anos de Amanda. Era na casa de mamãe, como provavelmente vai ser, mas a casa era um pouco diferente. Lembrava um pouco a casa de vovó Ditosa, em Teresina. Amanda estava radiante, feliz demais. E eu tão feliz quanto, por estar ali vendo a alegria dela.

Daí que acabo de saber que ontem o pai dela chegou em São Luís, para 15 dias de férias. Detalhe: eles não se viam há um ano. E ela TAMBÉM ESTÁ DE FÉRIAS!!!! Agora devem estar indo à praia e mamãe me disse que ela está a alegria em forma de pessoinha. Ou seja: EU GANHEI MEU DIA, ESTOU RADIANTE COMO NO SONHO!!!!!

Sonhando acordada: com ele dançando na sala “Somebody told me”, do Killers, com aqueles passinhos que só ele sabe. Ai, que lindo…

William, querido geminiano,
estreando em sonhos meus

Pela primeira vez nesse quase um ano em que nos conhecemos, sonhei com William. Perto do aniversário dele, bem no nosso inferno astral. O sonho foi bem real. Ele estava no Rio – onde está agora mesmo – e ligava perguntando umas coisas pra gente. Dicas de bar ou algo assim. William é uma presença tão necessária, que até sonhar com ele é bom demais.

Sonhei também com a minha escola. Que, entre uma sala de aula e outra, tinha vitrines de lojas. Como se fosse um shopping. Eu passeava pelos corredores, em busca da sala de Dânia. E achava.

Outra lembrança da noite é de um casamento na casa dos meus avós, no Turu. Atrizes da novela de Manoel Carlos, Lilian Cabral e Natália do Valle, perguntavam se as madrinhas iam entrar também com buquê de flores. Bizzaro. E, no meio da arrumação da casa para a cerimônia, eu encontrava um prato de salada murcha atrás da cadeira onde vovô se deitava para ver TV. Como se tivesse sido esquecida ali há semanas. Ou há meses.

Mais de um mês sem postar. Mas sigo sonhando.

Outro dia sonhei com Rabu e com Fernando. Eles estavam novamente morando em São Paulo, agora em uma casa só deles. Demorei a postar, o sonho foi há alguns dias já, e, claro, perdi um pouco de detalhe pelo caminho. Mas era isso. Eles estavam novamente aqui. E isso é sinal de que foi um sonho bom.

Rabu: muito lindo, né não?

Tags: , , ,

Pisando no chão do sonho

Sonhei com mamãe me contando que eles tinham vendido a nossa casa. A casa onde nasci e onde eles moram até hoje. Tinham vendido para comprar um apartamento. Fiquei feliz por eles, achei mais seguro e etc. E a conversa acabava com mamãe avisando que no novo apartamento teria uma regra: todo mundo teria que deixar os sapatos na entrada. Todo mundo andaria descalço no novo lar. Achei massa.

Judiação!

Ter ciúme em sonho é péssimo. Porque não passou de um sonho, mas eu acordo agoniada do mesmo jeito. Essa noite sonhei que a gente mudava de casa. Ia para um apartamento ainda menor, mas tão fofo quanto esse. Parecia o apartamento que morei perto do Sesc Vila Mariana. E lá tinha piscina.

Pois eis que o ciúme foi parar na piscina. Eu chegava com algumas coisas da mudança e umas garotas bonitonas estavam tomando sol. Eu pedia licença e elas eram gentis. Eu ficava impressionada, porque adolescente e pós-adolescente costuma ser tudo, menos gentil. Logo que eu passava com as coisas, no entanto, uma delas perguntava se eu pintava o cabelo de vermelho para esconder que era loira.

– Porque pedir licença assim é coisa de loira burra. [??????????????????? – sem sentido algum, né?]

O marido subia com o resto das coisas muito tempo depois. E me dizia que demorou porque decidiu mergulhar na piscina com as “garotas”. Gente, eu virei foi bicho. Ciúme onírico. Tão louco, forte e arretado quanto o da vida real. hehehehehehehe

Porque tem muita coisa para arrumar em casa, sonhei com estantes, prateleiras, móveis novos e eu ali no meio, tentando ajeitar tudo. Mas sonhei também com outras coisas. Acordei com elas todas no pensamento, dispersei e agora eu não me lembro.

Tags:

You may say I´m a dreamer


[but I´m not the only one]

Quem te viu quem te vê

  • 14.640 hits