Anotações oníricas [Viagens ao dormir]

Posts Tagged ‘ciúme

Cleitin e Kaki King

Sonhei que meu marido havia sido casado com a Kaki King. E que nunca tinha me contado. Minha maior raiva no sonho era essa: como assim ele tinha deixado eu fotografar os dois, depois do show da moça (que nem de moços gosta, hehehehe), sem saber que eles haviam sido casados anos antes? Daí eu me rebelava, dizia que eles dois eram uns falsos, que olhando a foto ninguém diria que ali estava um ex-casal, que eles fingiram muito bem nunca terem se visto. hehehehehe

Anúncios

Judiação!

Ter ciúme em sonho é péssimo. Porque não passou de um sonho, mas eu acordo agoniada do mesmo jeito. Essa noite sonhei que a gente mudava de casa. Ia para um apartamento ainda menor, mas tão fofo quanto esse. Parecia o apartamento que morei perto do Sesc Vila Mariana. E lá tinha piscina.

Pois eis que o ciúme foi parar na piscina. Eu chegava com algumas coisas da mudança e umas garotas bonitonas estavam tomando sol. Eu pedia licença e elas eram gentis. Eu ficava impressionada, porque adolescente e pós-adolescente costuma ser tudo, menos gentil. Logo que eu passava com as coisas, no entanto, uma delas perguntava se eu pintava o cabelo de vermelho para esconder que era loira.

– Porque pedir licença assim é coisa de loira burra. [??????????????????? – sem sentido algum, né?]

O marido subia com o resto das coisas muito tempo depois. E me dizia que demorou porque decidiu mergulhar na piscina com as “garotas”. Gente, eu virei foi bicho. Ciúme onírico. Tão louco, forte e arretado quanto o da vida real. hehehehehehehe

Será que Freud explica???

Depois de anos e anos, minhas unhas estão lindas, modéstia às favas. Grandes, pontudinhas, sempre coloridas. Roí por anos, nunca liguei se elas eram pequenas e sem graça. Agora fiquei vaidosa com elas. Sempre coloridas!

Pois sonhei que roía tudo, no aeroporto, ao me despedir da irmã mais velha, que ia viajar para encontrar um amor gringo não sei bem em que país. O mais louco: eu chorava quando via as unhas roídas e me espantava até no sonho. Tudo porque estava chorando de ciúme da minha irmã!!! É como se eu fosse apaixonada demais por ela e estivesse louca de ciúme. Quando ela vinha me dar tchau, eu mostrava as unhas pra ela e, como uma louca de novela, dizia: “é tudo culpa sua!!!” hahahahahaha

Engraçado. Porque, quando éramos crianças, ela era meu ídolo, mas isso sempre pareceu incomodá-la. Ela sempre dizia que não ia pros lugares “com essa pirralha”. E eu ficava toda magoada. Freud explica??

Fui dormir com preguiça. E acordei com preguiça. Tanta era a preguiça que desisti da ioga. Deitei novamente e a série de “curtas” – sonhos pequeninos e bizarros – da noite inteira voltou, já de manhã.

– O primeiro que me lembro era eu, muito herege, falando mal de uma procissão. Eu estava lá, provavelmente rumo a São José de Ribamar, e soltava a pérola: “Não acredito que é a terceira vez que venho nessa merda!” Minha irmã, que vai mesmo nessa romaria, me olhava com a cara mais desapontada do mundo. Meu avô também estava lá. Depois eu aparecia no carro, com meu avô dirigindo. Era madrugada e eu perguntava como ele conseguia dirigir a madrugada inteira. Ele se gabava que era bom de volante [coisa que ele nunca foi, hahahahahaha].

– Sonhei também que Caetano Veloso ia comemorar o aniversário dele em um parque de diversão, com o filho Zeca.

E surravam o Caetano, gente! Pessoas que odeiam ele – e isso nunca sai de moda! – batiam no cara. O filho ia defender o pai e saía com a testa toda ensanguentada. Eu ficava vendo aquilo chocada, com vontade de chorar.

– O terceiro sonho foi terrível! Meu marido atendia o telefone de madrugada e começava a trocar juras de amor, comigo do lado, ali deitada na cama. Quando eu perguntava quem era, ele dizia: “É só uma menina aí”. “Mas que menina?” “Ah, uma que dei uns beijos”. Acordei chorando, agoniada. Ah, e no sonho eu socava ele até ficar com dores terríveis na mão. hahahahahahahaha

Foi uma noite sangrenta.

otelo

Sonhei que espumava de ciúme. Isso não é sonho porra nenhuma. Isso é pesadelo dos brabos. Pior é que no sonho, assim como na vida, no final eu achava que tava vendo chifre em cabeça de cavalo. E não na minha. Se bem que nem sempre é assim. Mas no sonho foi. Acordei com vontade de socar o marido, que dormia lindamente do meu lado. Mas achei melhor não. Até respirei aliviada, admirei a beleza dele um pouco e voltei a dormir.

Leave me where I am, I´m only sleeping

Leave me where I am, I´m only sleeping